Crianças x TV: o risco ao desenvolvimento - Papai Educa

compartilhando a

paternidade ativa

Leandro Nigre

LEANDRO NIGRE

Pai do Joões, em seu plural consagrado, João Guilherme e João Rafael, esposo da Dayane, jornalista, palestrante, articulista sobre paternidade, especialista em Mídias Digitais, editor-chefe de jornal impresso, em Presidente Prudente.

saiba mais »

Crianças x TV: o risco ao desenvolvimento

Academia alerta que crianças com 2 anos de idade ou mais não devem assistir mais do que uma ou duas horas por dia

31 de Maio de 2017
1 comentários

Não dá para fugir da tentação de interagir com telas em torno da casa. Elas estão em toda parte; nas cozinhas, nas salas de estar, nas salas de televisão e até mesmo em nossos banheiros e camas. Com a conveniência de programas de streaming como Netflix e You Tube e a portabilidade e acessibilidade de iPads, smartphones e smart TVs, estamos constantemente inundados com imagens, sons e uma série de distrações multimídia. E as crianças? Podem se tornar vítimas dessa multiplicidade de telas?

Foto: Divulgação

“A criança americana assiste em média mais de quatro horas de TV por dia, apesar de uma recomendação da Academia Americana de Pediatria (AAP) para que crianças com 2 anos de idade ou mais não assistam mais do que uma ou duas horas por dia. E para as crianças menores de dois anos? A AAP, juntamente com a Sociedade Canadense de Pediatria, recomenda que não assistam TV”, afirma o pediatra e homeopata Moises Chencinski (CRM-SP 36.349).É claro que a recomendação da AAP não tem sido seguida. Aproximadamente 40% das crianças já estão assistindo TV aos 3 meses de idade e cerca de 90% assistem aos 24 meses. A idade mediana de início da visualização é de 9 meses

Mais fácil dizer do que fazer, certo?

Para os pais, o tempo de tela é muitas vezes uma distração bem-vinda, permitindo que eles façam coisas que seriam incapazes de fazer com crianças pequenas. A tela do celular é, às vezes, uma pausa necessária! Muitos pais admitem a utilização da TV ou de um iPad como uma "babá temporária" ao fazer o jantar, a limpeza ou enquanto respondem e-mails.

“A AAP destaca que as crianças menores de dois anos não obtêm nenhum benefício intelectual ao assistir à TV e que assistir demais pode realmente atrasar o desenvolvimento da linguagem e causar problemas relacionados à atenção. Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Washington descobriu que, a cada hora, por dia, que passavam assistindo DVDs e vídeos, as crianças aprendiam menos palavras novas (entre seis a oito palavras) do que as que nunca assistiam aos vídeos”, destaca o pediatra, que é membro do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

Um artigo publicado no Scientific American abriu um vislumbre de esperança para a televisão condenada, revelando como alguns estudos têm mostrado que certos programas educacionais de TV podem realmente melhorar o vocabulário das crianças mais velhas. Infelizmente, isso ainda não se aplica aos que têm menos de dois anos.

Como podemos evitar os efeitos prejudiciais  da TV e do tempo na tela?

Não é preciso ser cientista para saber que brincar no parque é mais benéfico para a saúde da criança e o desenvolvimento do que ser sedentário e assistir TV. “Mas para alguns pais, ir ao parque não é uma possibilidade a toda a hora. Há muitos fatores complexos que governam a vida e limitam as habilidades como pais. Ao mesmo tempo, eles se preocupam com o fato de que ver televisão demais vai diminuir a capacidade de pensamento criativo das crianças. Eles têm vontade, de todo coração, de se envolver e brincar com os filhos longos períodos do dia, esperam cancelar quaisquer efeitos negativos que a exposição da tela possa causar. Os pais de hoje são mais engajados do que nunca na criação de seus filhos, especialmente quando comparado com gerações mais velhas”, afirma o médico.

Bom senso

Como conciliar tantos interesses? Usando o bom senso. Embora menos seja melhor quando se trata de tempo de tela, às vezes, ela é inevitável. Assistir uma ou duas horas de TV por dia pode prejudicar intelectualmente seus filhos? Possivelmente não. E cinco a seis horas por dia? Muito mais provável.

O pediatra Moises Chencinski lista, a seguir, algumas dicas úteis para lidar com o tempo de tela em casa:

  • Qualidade ao invés da quantidade – “Em vez de permitir que o seu filho apenas se sente e assista a tudo o que está na TV, cuidadosamente selecione um programa adequado à idade dele. Escolha programas que sejam envolventes, estimulantes e educacionais”, recomenda o pediatra;

  •  Tempo marcado é fundamental – “Defina limites de tempo e siga-os. Use um temporizador para gerenciar as expectativas das crianças em relação ao que estão assistindo e informá-las quanto tempo falta para desligar a TV. Evite filmes longos até que seu filho possa realmente compreender o que está acontecendo neles”, diz o médico;

  • TV como companheira, fazendo barulho – “Evite que a TV fique ligada o tempo todo. O aparelho não deve ser utilizado como ‘ruído de fundo’. Em vez disso, coloque uma música apropriada e permita que as crianças se envolvam e se concentrem em uma atividade específica, quer você esteja envolvido ou não. Permitir que os filhos se concentrem em jogos imaginativos, sem distração, é crucial para o desenvolvimento criativo”, conta o médico;

  • Torne a TV um evento familiar – “Se você puder, sente-se e desfrute de algum tempo de tela com seus filhos. Envolva-se com eles, faça perguntas e estimule as habilidades de pensamento crítico enquanto assistem TV”, recomenda o pediatra.

(Com Assessoria de Imprensa)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O comentário é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não representa a opinião deste site. Após avaliação, ele será publicado. Seu email será preservado.

MAIS 1 COMENTÁRIOS

Daniel

02 de Junho de 2017

Tenha uma filha de 7 anos, atualmente o que ela mais gosta são canais do YouTube. Minha primeira atitude foi descobrir quais ela gostava e então assinei todos kkkkk assim consigo saber se o conteúdo é adequado para idade dela. Também defini horário para que as atividade como brincar, ler é tarefa da escola, não sejam substituídas. Parabéns pela matéria.

© 2016 Papai Educa. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido Prudente Empresas

Assine o blog

Inscreva-se e receba atualizações
do nosso conteudo no seu email.