Desfralde: momento certo evita traumas e frustrações - Papai Educa

compartilhando a

paternidade ativa

Leandro Nigre

LEANDRO NIGRE

Pai do Joões, em seu plural consagrado, João Guilherme e João Rafael, esposo da Dayane, jornalista, palestrante, articulista sobre paternidade, especialista em Mídias Digitais, editor-chefe de jornal impresso, em Presidente Prudente.

saiba mais »

Desfralde: momento certo evita traumas e frustrações

Médica esclarece que retirada da fralda no momento inadequado gera transtornos psicológicos e emocionais

09 de Março de 2017
3 comentários

Fazer o desfralde da criança é sempre muito delicado para os pais. Por isso, é fundamental avaliar o momento exato para que não haja problemas e frustrações de ambos os lados. Segundo a pediatra do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Ana Paula Sakamoto, os pais devem identificar a hora correta de iniciar este processo.

 “No verão, o desfralde é mais fácil, porque a família está presente no dia a dia da criança, devido às férias. Além disso, o uso de roupas mais leves facilita muito. Os pais, no entanto, devem saber a melhor oportunidade para não causar traumas e frustrações. Também não aconselho retirar a fralda muito antes dos dois anos de idade, pois a criança pode ainda não estar preparada”, afirma a médica.

De acordo com a especialista, o desfralde feito em um momento inadequado gera transtornos psicológicos e emocionais, como insegurança, ansiedade, choro intenso, ou problemas clínicos, como infecções urinárias, prisão de ventre, medo de evacuar ou a chamada enurese noturna, quando a criança tem mais de cinco anos e ainda faz xixi na cama diariamente ou mais de uma vez por noite.

Outro ponto importante é não fazer o desfralde em situações marcantes na vida da criança, como o nascimento de um irmão ou irmã, separação dos pais ou mudança de casa ou de escola. “Fases delicadas que causam estresse são fatores que impactam a adaptação e dificultam o processo”, explica. Confira abaixo mais dicas da pediatra:

- Repare se a criança se queixa quando está com a fralda suja e se avisa quando vai fazer necessidades – é um indício para o começo do desfralde.

- Dê início ao desfralde no período diurno, tirando a fralda noturna apenas quando perceber que a criança acorda quase sempre seca. Diminua a ingestão de líquidos e a leve ao banheiro antes de dormir.

- Pergunte, de hora em hora, se a criança quer ir ao banheiro. Vai chegar um momento em que ela mesma avisará quando precisar.

- Encoraje e comemore o sucesso e a iniciativa da criança.

- Tenha paciência. O tempo de desfralde varia entre poucos dias ou mais de um mês. Em caso de escapadas, não brigue. Protetores impermeáveis de colchão ajudam a mantê-los secos e conservados durante a noite.

- O processo deve ser divertido. Vale brincar com bonequinhos, cantar musiquinhas ou decorar o penico com adesivos.

- Prefira penico ou adaptador de assento com apoio para os pés, favorecendo, assim, a prensa abdominal - posição que estimula a evacuação.

- Para as crianças mais independentes, que querem fazer as tarefas sozinhas, ensine-as a dar descarga, mas fique atento à higiene para evitar possíveis infecções, principalmente, nas meninas.

- Utilize calcinhas e cuecas sempre de algodão e mais largas, que facilitam a criança a retirá-la sozinha.

- Envolva todos que convivem com a criança – seja em casa ou na escola – para dar maior segurança no processo.

Fonte: Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O comentário é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não representa a opinião deste site. Após avaliação, ele será publicado. Seu email será preservado.

MAIS 3 COMENTÁRIOS

Marcos Romeu

14 de Março de 2017

Excelente! Aqui estamos passando pela faze da chupeta e logo logo vamos partir para essa faze. A Tarsila ja da sinais que esta preparada para isso, em algumas vezes ela mesmo fala xixi e sai correndo pela casa.

Leandro Nigre

Compartilhando a paternidade ativa

Romeu, Aqui acostumamos dizer que, como no Mario Bros, é sempre necessário matar o Copa em cada fase, para seguir em frente. O caminho é esse, não se atropelar, nem carregar a criança. Vamos em frente. Obrigado por participar!

Mariane Alencar

10 de Março de 2017

Sofri tanto neste processo. Minha filha deixou de fazer cocô regularmente. Foi um caos. Na época me faltou informação.

Leandro Nigre

Compartilhando a paternidade ativa

Por aqui não foi muito diferente, Mariane. Guigui levou quase um ano para definitivamente regular seu intestino e deixar o medo de fazer cocô no vaso sanitário. Tentamos todos os recursos possíveis neste período e o apoio psicológico foi fundamental. Obrigado por participar do debate!

Jow Camargo

09 de Março de 2017

Valioso texto meu querido Leandro! Dicas essências para papais, principalmente os de primeira viagem, que estão passando ou ainda vão passar por este processo! Parabéns irmão!

Leandro Nigre

Compartilhando a paternidade ativa

Informação é conhecimento e, quando o temos, a chance de errar é menor. Vamos propagá-las. Obrigado pela visita. Fique sempre conosco.

© 2016 Papai Educa. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido Prudente Empresas

Assine o blog

Inscreva-se e receba atualizações
do nosso conteudo no seu email.