Seu filho não desgruda de você? - Papai Educa

compartilhando a

paternidade ativa

Leandro Nigre

LEANDRO NIGRE

Pai do Joões, em seu plural consagrado, João Guilherme e João Rafael, esposo da Dayane, jornalista, palestrante, articulista sobre paternidade, especialista em Mídias Digitais, editor-chefe de jornal impresso, em Presidente Prudente.

saiba mais »

Seu filho não desgruda de você?

Transtorno de ansiedade de separação impede crianças de realizar atividades que requeiram afastamento dos pais

12 de Abril de 2017
3 comentários

O transtorno de ansiedade de separação faz com que algumas crianças demonstrem grande ansiedade e sofrimento quando, por algum motivo, precisam se afastar de suas mães e/ou pais. Trata-se de um sofrimento intenso e, em alguns casos, exagerado, que acaba por trazer grande prejuízo à vida emocional, psíquica e social da criança, além de muitos tormentos a seus familiares.

Foto: Divulgação

Essa dificuldade enfrentada por crianças e jovens acaba impedindo-os de realizar algumas atividades que requeiram certo afastamento dos pais, por exemplo, brincar com os amigos, dormir fora de casa ou viajar com parentes e colegas, ingressar na escola e, assim, aproveitar os momentos de prazer, a aprendizagem e o desenvolvimento que a escola proporciona, ingressar numa colônia de férias ou em atividades extracurriculares como futebol, dança, natação, etc.

Na obra Não Consigo Desgrudar da Mamãe, escrita pela terapeuta Daniele Vanzan com participação de Milton Menezes, Chico é um menino doce que apresenta uma grande dificuldade: afastar-se dos pais para realizar suas atividades diárias, como ir para a escola ou dormir na casa dos primos. Quando a mãe o deixa na escola, por exemplo, sofre muito, pois tem medo que ela não volte para buscá-lo. Assim, deixa de se divertir com os amigos ou de se distrair.

Então, os pais de Chico procuram uma terapeuta, que começa a ajudar o pequeno a descobrir e superar o problema, chamado Transtorno de Ansiedade de Separação.

Nesse dia, todos puderam falar sobre o que vinha acontecendo com Chico quando precisava se afastar da sua mãe: ele não conseguia desgrudar da mamãe! E começaram a pensar nas coisas que Chico perdia enquanto estava preso à mãe: o cinema com os amigos, férias na casa do primo que ele amava, dormir na casa do amigo ou da vovó... Puxa, quantos momentos divertidos ele deixava para trás!

Através de brincadeiras e atividades interativas no consultório, Chico começa a controlar as sensações ruins e a se sentir mais seguro quando distante da mãe.

Na obra, além da história ilustrada, a autora explica melhor o conceito de Transtorno de Ansiedade de Separação, de acordo com as suas experiências como terapeuta em consultório. Com isso, ela pretende fazer as pessoas entenderem melhor o que é o problema, em vez de tratarem a situação como birra, manha ou tentativa de chamar a atenção dos adultos.

Quais os motivos de sofrimento das crianças? Quais cuidados precisam ser tomados com elas? E quando não se percebe nada que justifique o sofrimento da criança? Como fazer com que elas superem o medo da separação? Essas são algumas das perguntas respondidas pela terapeuta com o objetivo de auxiliar os pais a lidarem com o transtorno.

Neste livro, Daniele traz possíveis explicações que podem ocasionar o problema, além de deixar claro que às vezes até mesmo experiências de vidas passadas podem influenciar no comportamento e nas reações emocionais das crianças.

Ficha técnica:
Tamanho: 27x27
Páginas: 36
Preço: R$ 10,90

(Com informações da Boa Nova Editora)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O comentário é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não representa a opinião deste site. Após avaliação, ele será publicado. Seu email será preservado.

MAIS 3 COMENTÁRIOS

Felipe Santos

13 de Abril de 2017

Leandro, Ótima dica de leitura, lemos este livro e foi muito bom para nosso dia a dia.

Leandro Nigre

Compartilhando a paternidade ativa

Que bom que também funcionou por aí, Felipe. Seja sempre bem-vindo!

Jairo Marques

13 de Abril de 2017

Vou comprar o livro. Vivenciamos isso e não estamos conseguindo lidar com este apego do meu filho de 6 anos.

Leandro Nigre

Compartilhando a paternidade ativa

É uma ótima dica, Jairo. Depois nos conte como foi a experiência. Grande abraço!

MARCOS JOSÉ

12 de Abril de 2017

Graças a Deus desde o primeiro dia de aula da nossa Tarsila, nunca tivemos que lidar com tal situação. fiz ate um vídeo para esclarecer a adaptação escola dos nosso pequenos.

Leandro Nigre

Compartilhando a paternidade ativa

Marcos, você é um papai exemplo, preocupado não somente com sua filhota, mas com toda uma geração! Parabéns por edificar os papais! Seguiremos juntos!

© 2016 Papai Educa. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido Prudente Empresas

Assine o blog

Inscreva-se e receba atualizações
do nosso conteudo no seu email.